segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Balada da Saudade

Quando cheguei não esperei,
Coimbra dos teus doutores,
Amar-te tanto como amei,
Os teus fados e amores...

Traçámos as capas ao vento,
Bebemos do teu luar.
Se choro agora é um lamento,
Pois um dia te vou deixar

Ai adeus mondengo!
Ai adeus choupal!
Ai adeus amigos!
Não levem a mal!

Desculpem as lágrimas
Mas é a emoção!
Já é a saudade,
Já é a saudade no meu coração!

Noites em claro eu passei
Em palcos de guitarradas,
Hoje lembranças eu sei
Como as tristezas passadas

Agora vivo sem ti
Coimbra, parti sem rumo
Mondego contigo aprendi
És terra lugar que eu amo!

Ai adeus mondego!
Ai adeus choupal!
Ai adeus amigos!
Não levem a mal!

Desculpem as lágrimas
Mas é a emoção!
Já é a saudade,
Já é a saudade no meu coração...

1 comentário:

filipa disse...

Coimbra ofereceu-te muitas coisas, as quais gostarias de continuar a viver...
Mas novas coisas vais aprender!
Essas lágrimas que derramarás transportam alegria e muitos bons momentos aí passados... Lágrimas de Alegria!
Agora sabes o que é Coimbra, descobriste uma terra que te abriu os braços e agora te vê partir!

E Muitos parabéns! O texto está muito giro